Planejamento Sucessório

No planejamento sucessório são abordados temas interdisciplinares com foco na destinação racional e preservação de bens de herança e de testamento, prevenindo-se conflitos entre os sucessores.

Dessa forma, há que se demonstrar ao patriarca e à matriarca os efeitos da doação, do usufruto, da securitização de bens (como exemplo o seguro de vida), dos planos de previdência privada, dos fundos fechados, dos tributos e demais custos, da administração de conta bancária, da viabilidade de abertura de uma pessoa jurídica denominada Holding, entre outros assuntos de interesse dos envolvidos.

Assim sendo, além de haver a necessidade de que destinação e preservações de bens sejam racionais, constata-se que tais disposições precisam ser harmônicas, pois não há apenas patrimônio a ser partido, mas também legados, tradições, culturas, histórias, que devem ser levadas em consideração em um planejamento sucessório.

Por fim, é indispensável o acompanhamento de um advogado para conduzir o planejamento sucessório desde a constituição, oferecendo diversas estratégias jurídicas, tendo em vista que não há uma idade mínima ou exata para colocar em prática o plano que for determinado, inclusive se indica que seja o quanto antes, pois a vida é imprevisível e diariamente os herdeiros são pegos de surpresa, sem conseguirem dar continuidade aos negócios familiares por abalos financeiros sem a presença do patriarca ou da matriarca, sem a necessária harmonia familiar e sem o foco de evitar altos custos e demora de inventário judicial.

Ficou com alguma dúvida? Deixe para nós a sua pergunta ou o seu comentário.

Nós teremos maior prazer em atendê-lo.

contate-nos para mais informações